27 de abril, 5 e 8 de maio de 2017 | Encontro com José António Franco

21 de abril comemorando o Dia Mundial do Livro na BMC

No dia 21 de abril, pelas 15:30, na Biblioteca Municipal de Coimbra, antecipou-se o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, realizando-se a entrega dos prémios aos vencedores do Desafio Municipal de Leitura e do Concurso “Há poesia na escola“, duas das diferentes iniciativas da Rede de Bibliotecas Escolares de Coimbra.

O AE Coimbra Sul esteve presente nesta cerimónia, tendo a Diretora do nosso AE estado presente, bem como as duas alunas do 2.º ciclo da EB 2,3 de Ceira que ficaram em 3.º lugar, na Fase Concelhia, em ambos os concursos e que leram, respetivamente, um excerto da obra “O Planeta Branco” de Miguel Sousa Tavares e a poesia “Misturas da vida” que a seguir partilhamos!

Mais uma vez muitos parabéns a todos os participantes e uma saudação muito especial às nossas vencedoras!

Aqui está o poema distinguido com o 3.º lugar! Boas leituras no Dia Mundial do Livro!

 

 

As misturas da vida

 

Uma estrela cor doirada

Tantas iguais por todo o lado

E enquanto olhas o luar

Sentes-te aconchegado

 

Pois são assim as coisas

Do espaço

A quem nunca poderemos

Dar um abraço

 

Ele é infinito

Aquilo dele ter fim

É só um mito

Pelo menos para mim

 

Lá pelo que dizem

Há coisas de espantar

Os astros, as estrelas e os planetas

Já para não falar dos cometas

 

E mais uma estrela cintilante

A passar vinda do nada

Mas que estrela tão brilhante

Que já por ti foi achada

 

Aluna do 2.º ciclo

 

Dia Mundial do Livro 2017 | Cartoon de Cristina Sampaio

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. Este ano associa-se aos 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal.

Esta data foi escolhida com base na tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha de S. Jorge, e recebem em troca um livro, testemunho das aventuras do heroico cavaleiro. Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em abril de 1616.

Em 2017, e porque se comemoram os 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal http://150anosdaabolicaodapenademorteemportugal.dglab.gov.pt/, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas quis relacionar o Dia Mundial do Livro com esta efeméride, incitando à leitura e celebrando o livro como um hino à vida .

O cartaz, um cartoon com conceção e design da ilustradora e cartoonista Cristina Sampaio http://www.cristinasampaio.com/pt/, pretende mostrar simbolicamente que o livro e a leitura são fatores fundamentais para o crescimento económico, político, social e cultural, e que se encontram na base da cidadania plena.

in DGLB

Lápis Pastel | Artes Visuais

O Pastel é um material artístico para pintura e desenho existente numa barra, bastões cilíndricos ou até em um lápis. Existem vários tipos de Pastel: Pastel Seco, o Pastel de Óleo, etc. Estes apresentam características diferentes, tanto na sua composição como na sua parte visual. Após acabado o trabalho, pode ser protegido com fixativo e vidro.

O Pastel é um material artístico para pintura e desenho existente numa barra, bastões cilíndricos ou até em um lápis. Existem vários tipos de Pastel: Pastel Seco, o Pastel de Óleo, etc. Estes apresentam características diferentes, tanto na sua composição como na sua parte visual. Após acabado o trabalho, pode ser protegido com fixativo e vidro.

 

 

 

 

 

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pastel_(arte)

De Rainha das Neves | 5.º ano

Pablo Picasso | Conhecer o pintor

Pablo Picasso foi um pintor muito conhecido que fazia obras fantásticas. Ele nasceu a 25 de outubro de 1881 e morreu a 8 de abril de 1973 com 91 anos. Os principais trabalhos que ele fez foram Les demoiselles d’Avignone, ele recebeu o Prêmio Lenin da Paz em 1962 e a sua área era a da pintura e escultura.
Após iniciar como estudante de arte em Madrid, Picasso fez sua primeira viagem a Paris (1900), a capital artística da Europa. Lá morou com Max Jacob (jornalista e poeta). Em 1901, com Soler, um amigo, funda uma revista Arte Joven, na cidade de Madrid. O primeiro número é todo ilustrado por ele e foi a partir dessa data que Picasso passou a assinar os seus trabalhos simplesmente “Picasso”, anteriormente assinava “Pablo Ruiz y Picasso”. Em Paris, Picasso conheceu um selecto grupo de amigos célebres nos bairros de Montmartre e Montparnasse: André Breton, Guillaume Apollinaire e a escritora Gertrude Stein. O célebre retrato de Gertrude Stein (1905 – 1906) revela um tratamento do rosto em forma de máscara. Em 1912, Picasso realizou sua primeira colagem, colou nas telas pedaços de jornais, papéis, tecidos, embalagens de cigarros. Apaixonou-se por Olga Koklova, uma bailarina. Casaram-se em 12 de julho de 1918. Neste período o artista já se tornara conhecido e era um artista da sociedade. Quando Olga engravidou, criou uma série de pinturas de mães com filhos. Em 1927 conhece Marie-Thérèse Walter, uma jovem francesa com 17 anos, e com a qual o artista manteve uma relação amorosa. Nos primeiros tempos, a presença da jovem musa nos quadros de Picasso manteve-se oculta, uma vez que o pintor continuava casado com a russa Olga Khokhlova.A divulgação pública dos retratos de Marie-Thérèse acabou por precipitar a revelação da relação secreta. Em 1935 teve uma filha de Marie-Thérèse, chamada Maya Widmaier-Picasso. Entre o começo e o fim da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), dedica-se também à escultura, gravação e cerâmica. Como gravador, domina as diversas técnicas: água-forte, água-tinta, ponta-seca, litogravura e gravura sobre linóleo colorido. Além disso, sua dedicação à arte escultórica era esporádica. É considerado um dos pioneiros em realizar esculturas a partir de junção de diferentes materiais. Em 1943, Picasso conhece a pintora Françoise Gilot e tem dois filhos, Claude e Paloma, encontrou um pouco de paz e pintou Alegria de Viver. Em 1968, aos 87 anos, produziu em sete meses uma série de 347 gravuras recuperando os temas da juventude: o circo, astouradas, o teatro, as situações eróticas. Anos mais tarde, uma operação da próstata e da vesícula, além da visão deficiente, põe fim às suas actividades. Como uma honra especial a ele, no seu 90.º aniversário, são comemorados com exposição na grande galeria do Museu do Louvre. Torna-se assim o primeiro artista vivo a expor os seus trabalhos no famoso museu francês. Pablo Picasso morreu a 8 de abril de 1973 em Mougins, França, com 91 anos de idade. Na noite anterior ele havia brindado com os amigos dizendo “Bebam à minha saúde. Vocês sabem que não posso beber mais.” Picasso depois teria ido pintar até três da manhã antes de ir dormir. Acordou na manhã seguinte com dores no peito e sem conseguir se levantar, morrendo poucos minutos depois de um infarte. Encontra-se sepultado no Castelo de Vauvenargues, Aix-en-Provence, Provença-Alpes-Costa Azul, sul de França.

 

 

 

 

 

 

 

De Rainha das Neves | 5.º ano

História de Portugal | Viriato

Quem foi Viriato?

Viriato é citado por Diodoro (XXXIII) que diz que Viriato “nascera na Lusitânia, cerca do Oceano. Os seus antigos biógrafos dizem que Viriato apascentara rebanhos e fora à caça. Em seguida fizera-se bandoleiro; depois, foi capitão de ladrões de estrada, cujo bando praticava, frequentes assaltos, saqueando os povoados das regiões mais ricas das planícies do Sul. Ele era conhecido entre os romanos como duque do exército Lusitano, como protetor da Hispânia, ou como imperador das tribos Lusitanas e Celtiberas.

O Aparecimento de Viriato

Viriato aparece na História, quando em 147 a.C. se opôe a rendição dos lusitanos a Caio Vetílio, que os tinha cercado no vale de Betis, na Turdetânia. Viriato lembra aos seus companheiro a traição anterior de Galba, em que mais de 30.000 lusitanos foram assassinados e outros foram vendidos como escravos nas Gálias. Demonstrou-lhes que os romanos eram inimigos falsos, sem palavra e que já os haviam atraiçoado miseravelmente, conseguindo assim convencê-los, e é eleito chefe. Ele derrota os romanos no desfiladeiro de Ronda, que separa a planície do Guadalquivir da costa marítima da Andaluzia. Seguidamente os lusitanos destroçam as tropas de Cayo Pláucio, tomando Segóbriga e as de Cláudio Unimano, que em 146 a.C. era o governador da Hispânia Citerior. Em 145 a.C. os lusitanos voltam a derrotar as tropas romanas de Caio Nígidio. No mesmo ano, Quinto Fábio Máximo é nomeado cônsul na Hispania Citerior e é encarregado da campanha contra Viriato ao comando de duas legiôes. Ao princípio tem algum êxito mas Viriato recupera e em 143-142 a.C. volta a derrotar os romanos em Baecula e obriga-os a refugiar-se em Córdova. Seguindo o exemplo do chefe lusitano, as tribos celtibéricas revoltavam-se contra as prepotências romanas, acendendo uma luta que só terminaria em 133 a.C. com a queda de Numância. Em 140 a.C. Viriato derrota o novo cônsul Fábio Máximo Servilliano, matando mais de 3.000 romanos, mas deixou Servilliano libertar-se da posição desastrosa em que se encontrava, em troca de promessas e garantias de os Lusitanos conservarem o território que haviam conquistado. Em Roma esse tratado de paz foi depois considerado humilhante e o Senado romano volta atrás, e declara-lhe guerra.

As homenagens a Viriato

Na tradição romana os antepassados mais ilustres eram pastores, e Viriato é comparado àquele que teria sido o pastor mais ilustre que se tornou no rei de Roma. Por isso diziam que ele era o rei-pastor, ou seja, o pastor que se tornou rei. Os Lusitanos homenageavam Viriato com os títulos de Benfeitor e Salvador, os mesmos títulos usados pelos reis da dinastia ptolemaica. Ele foi descrito como um homem que seguia os princípios da honestidade e trato justo e foi reconhecido por ser exacto e fiel à sua palavra nos tratados e alianças que fez. A opinião das pessoas era que ele tinha sido o mais amado de todos os líderes lusitanos.

Fontes:

  • //www.historiadeportugal.info/viriato/
  • //historia-portugal.blogspot.pt/2008/02/figura-de-viriato.html
  • //www.infopedia.pt/$viriato
  • //pt.wikipedia.org/wiki/Viriato

 

 

 

 

 

 

 

 

De Rainha das Neves | 5.º ano

2 de abril de 2017 | Dia Internacional do Livro Infantil

 

No dia 2 de abril comemora-se em todo o mundo o nascimento de Hans Christian Andersen. A partir de 1967, este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.

Para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil 2017, a DGLAB convidou o ilustrador João Fazenda, vencedor do Prémio Nacional de Ilustração do ano passado, para ser o autor da imagem do cartaz.

A mensagem do IBBY internacional, este ano da responsabilidade da Rússia, consta de um texto do escritor Sergey Makhotin e um cartaz do ilustrador Mikhail Fedorov. Pode ser encontrada em: http://www.ibby.org/awards-activities/activities/international-childrens-book-day/icbd-2017/?L=0

Vamos crescer com o livro, mensagem de Sergey Makhotin

VAMOS CRESCER COM O LIVRO! Na minha primeira infância, gostava de construir casas com pequenas peças e toda a espécie de brinquedos. Usava muitas vezes um livro ilustrado a fazer de telhado. Nos meus sonhos, entrava na casa, deitava-me na cama feita com uma caixa de fósforos e olhava para cima, para as nuvens ou para as estrelas do céu. A escolha dependia da ilustração que preferia na altura. Por intuição, segui as regras de vida das crianças que procuram criar um ambiente seguro e confortável à sua volta. E o livro infantil ajudou-me muito a atingir este objetivo. Depois cresci, aprendi a ler, e o livro, na minha imaginação, começou a assemelhar-se mais a uma borboleta, ou mesmo a um pássaro, do que ao telhado de uma casa. As páginas do livro pareciam asas que batiam. Era como se o livro, deitado no peitoril, quisesse sair pela janela aberta em direção ao desconhecido. Segurava-o com as mãos e começava a lê-lo, e o livro ia ficando cada vez mais calmo. Então eu próprio voava para outras terras e novos mundos, alargando o espaço da minha imaginação. Que alegria ter na mão um novo livro! De início, nunca sabemos sobre o que é que ele fala. Resistimos à tentação de saltar para a última página. E como o livro cheira bem! É impossível distribuirmos o seu cheiro pelos vários elementos que o compõem: tinta, cola… não, é impossível. Existe um cheiro particular no livro, um cheiro único e excitante. As folhas encontram-se coladas, como se o livro não tivesse ainda acordado. E ele só acorda quando começamos a lê-lo. Continuamos a crescer, e o mundo à nossa volta torna-se mais complicado. Enfrentamos questões a que nem os adultos sabem responder. No entanto, é importante partilhar dúvidas e segredos com alguém. E aí o livro volta a ajudarnos. Muitos de nós terão um dia pensado: este livro fala sobre mim! E a personagem favorita parece ser igual a nós. Tem problemas semelhantes, e resolve-os com dignidade. E há outra personagem que não é igual a ti, mas tu gostarias de seguir o seu exemplo, de ser tão corajoso e desembaraçado quanto ela. Quando há rapazes e raparigas que dizem “Não gosto de ler!”, isso faz-me rir. Não acredito neles. Comem gelados, jogam jogos e veem filmes interessantes. Dito de outro modo, gostam de se divertir! É que a leitura não serve apenas para desenvolver sentimentos e personalidades, ela é, acima de tudo, um prazer. É sobretudo com essa missão que os autores de livros para a infância escrevem os seus livros.

Sergey Makhotin (tradução de Mª Carlos Loureiro a partir da versão inglesa de Yana Shvedova)