Escola aLeR +

Poemário online | POESIA TODOS OS DIAS!

 Já visitaram este mês o Poemário OnLine da Biblioteca Municipal de Coimbra ?

Diariamente podemos ler e conhecer tantos escritores, voar com eles e pensar que todo o tempo é tempo de poesia! E sabem, podem ler muito MAIS se clicarem no dia e mês que escolherem! Vamos então ler +?

Tempo de poesia

Todo o tempo é de poesia
Desde a névoa da manhã
À névoa do outro dia.
Desde a quentura do ventre
À frigidez da agonia.
Todo o tempo é de poesia.
Entre bombas que deflagram.
Corolas que se desdobram.
Corpos que em sangue sossobram.
Vidas que a amar se consagram.
Sob a cúpula sombria
Das mãos que pedem vingança.
Sob o arco da aliança
Da celeste alegoria.
Todo o tempo é de poesia.
Desde a arrumação do caos
À confusão da harmonia.

António Gedeão (1906-1997),
Movimento perpétuo

 Podem ler+ em      http://www.cm-coimbra.pt/biblioteca/poemario2011 
  
                                EU
 
Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada… a dolorida…

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino, amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!

Sou aquela que passa e ninguém vê…
Sou a que chamam triste sem o ser…
Sou a que chora sem saber porquê…

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!
   Florbela Espanca (1894-1930),in Livro De Mágoas

(seleccionado pela Escola Secundária Infanta D. Maria)

Durante o mês de Março, foram os alunos do Liceu Dr. Rui Barcelos da Cunha – Bissau, Guiné-Bissau que contribuiram para este calendário de poemas! O autor deste texto foi um aluno do 9ºano.

AFRICANIDADE

Menino africano
Gotinha de chuva,
Para onde vais?
A caminho do rio
E depois para o mar.

Grãozinho de terra
Para onde vais?
Vou ver os caminhos que hei-de cruzar.

Menino africano
Que pensas fazer?
Um mundo mais justo
Para a gente viver. 
.
Zelmar Gomes, aluno do 9º ano do Liceu Dr. Rui Barcelos da Cunha, poema publicado no jornal escolar Anunciador de Junho de 2010

25 de Maio de 2011 – Palestra “Segurança na Internet” | Paulo Peixoto – Enc. de Educação | 5ºA

No dia 25 de Maio, realizou-se uma sessão de formação sobre Segurança na Internet, inserida no Projecto Curricular da Turma 5ºA. A mesma foi dinamizada pelo Encarregado de Educação de uma aluna da turma, Paulo Peixoto, Professor e Investigador no Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Universidade de Coimbra, o qual se disponibilizou para falar do início da Internet e de como a mesma está presente no nosso dia-a-dia, sublinhando as regras de segurança que se devem cumprir para manter os dados pessoais protegidos.
Foram igualmente convidados para assistir a esta sessão os alunos das turmas 5ºC e 5ºH. Este encontro teve lugar na Biblioteca Escolar, contribuindo assim para o plano de actividades da Biblioteca Escolar.

Formalização do Acordo de Cooperação da Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra

No passado dia 18 de Maio, no Parque Verde, em plena Feira do Livro de Coimbra, a directora regional de Educação do Centro, Helena Libório, o presidente da autarquia, João Paulo Barbosa de Melo e os responsáveis de 19 escolas (do sistema público ou com contrato de associação) e agrupamentos escolares assinaram o documento que estabelece as responsabilidades de cada uma das partes na Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra.  Destaque para um planeamento integrado ao nível da cooperação, evidenciando-se a estratégia de rentabilização e partilha de recursos e o trabalho colaborativo entre as 30 bibliotecas escolares e a Biblioteca Municipal, através do Serviço da Apoio às Bibliotecas Escolares e outros serviços municipais.
 
Este evento integrou-se no âmbito do programa de actividades das escolas da Rede de Bibliotecas de Coimbra que, pela primeira vez, participa na feira do livro da cidade, tendo o momento formal contado com a presença de actividades de diferentes escolas/bibliotecas que durante toda a semana animam o espaço (imagem).
 
 
 
Helena Duque
Coordenadora Interconcelhia

“Um mar de Contos” | Entrega de Prémios em Lisboa | 7ºD

A turma D do 7º ano participou no dia 20 de Maio na entrega de prémios do Concurso Literário “Um mar de contos”, tendo o aluno nº13 Guilherme Góis ganho o terceiro prémio a nível nacional com o conto intitulado ” Um Amigo Especial”.
Esta turma foi representar a escola e acompanhar o aluno premiado. As professoras acompanhantes foram a Directora de Turma Ana Santos e a professora de Língua Portuguesa Clara Inês Andrade.
O dia decorreu bem e os alunos tiveram o privilégio de conduzir um ROV e realizar outras actividades relacionadas com a temática do mar. Este tema integra-se  no âmbito do Projecto Eco-Escolas e da Biblioteca Escolar.

Vamos ver algumas fotografias e depois vamos esperar pelo conto! Parabéns José Guilherme!

 

 

Feira do Livro em Coimbra | Entrega de Prémios “Há poesia na escola?” | Encerramento das actidades RBC

Hoje há MORCEGOS na BE!Com o 6ºA!

Sabiam que existem mais de 1200 espécies de morcegos em todo o mundo?

Infelizmente, cerca de metade estão em vias de extinção. É por isso que Convenção de Bona sobre a Conservação das Espécies Migradoras Pertencentes à Fauna Selvagem e do Acordo sobre a Conservação dos Morcegos Europeus – EUROBATS decidiram que os anos de 2011 e 2012 seriam consagrados ao Morcego! Procura-se assim dar a conhecer este mamífero – o único capaz de voar e só de noite, mostrando a sua importância para o Homem e para os ecossistemas, porque são uma forma de controlo de pragas e de dispersão de  sementes.

E que adoram BIBLIOTECAS?

Centenas de morcegos vigiam diariamente duas das mais antigas bibliotecas de Portugal, na Universidade de Coimbra e no Palácio de Mafra.

É a sua habilidade para capturar insectos que assegura a preservação dos livros!

Ora, os alunos do 6ºA, no âmbito das disciplinas de Ciências da Natureza, de Língua Portugesa, do Projecto Eco-Escolas e da Biblioteca, resolveram adaptar e dramatizar a história de Luísa Ducla Soares “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas” para lembrar a importância que os morcegos têm para o equilíbrio do nosso ecossistema!

Hoje, pelas 13:45 os morcegos vão invadir a nossa Biblioteca Escolar! E o Professor Carlos Fiolhais, Director da BGUC, vai contar-nos como eles garantem conservação dos livros na Biblioteca Joanina.

o 6ºA vai assistir e vamos repetir no próximo dia 8 de Junho – Dia Eco-Escolas!

16 de Maio 2011 | A nossa escola esteve na Feira do Livro de Coimbra

Eu li!

Título:O Planeta Azul
Autora: Luísa Ducla Soares
Ilustradora: Gisela Miravent
Edição: 2008
Editora: Livraria Civilização Editora

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para leitura orientada na sala de aula com alunos do 5º e 6º ano de escolaridade que ainda não adquiriram hábitos de leitura.

Diversos poemas da autoria de Luísa Ducla Soares testemunham o quanto a Terra é bela e original, diversa e cheia de magia. Mas a par desses poemas outros aparecem em que se chama a atenção para os perigos que a Terra atravessa hoje em dia (poluição, incêndios, falta de água e outros tantos). A responsabilidade de salvar o nosso Planeta é de todos: crianças e adultos.

In wook

A aluna Beatriz Brito ( 5ºD) partilha connosco alguns dos excertos de que mais gostou.

Vamos ler?

Estrela-Do-Mar

No mar se vêem ao espelho
As estrelas a brilhar.
Alguma terá caído
Quando se estava a mirar?
Eu descobri uma estrela
Na praia, à beira-mar.
Em vez de voar para céu,
Convidou-me para nadar. 

O cão e o Rio 

O cão vadio

À beira-rio

Que guardará?

Todo azul

Azul, Azul,

Que mora lá.

Andorinhas da Primavera

Nas asas duma andorinha

É que chega a Primavera.

Se já não há andorinhas,

Ainda haverá Primavera?

Os nossos Escritores do 2ºC da Escola 1ºCEB da Quinta das Flores

Os nossos escritores têm várias poesias para nos oferecerem!

Os poemas foram escritos no período de Apoio ao Estudo.

Um agradecimento muito especial à Professora Graça Ferreira!

Vamos ler mais?

Autores: 2ºC

POEMAS

 

UMA ESTÓRIA TRANSFORMADA EM POEMA

UM POEMA QUE JÁ É CANÇÃO

A NOSSA FADA DA COR

Numa montanha perdida                    

no fundo do céu

existiu num tempo

que nem ao tempo lembra

um feitiço.

Numa pequena aldeia

coberta de céu cinzento

e chuva triste

morava uma menina

sentindo o colorido dum sonho.

Como seria olhar

um mundo cheio de cor

com asas para voar

rodopiando ao sabor do vento

 como uma borboleta?

Sonho de voar

conhecer a cor

não queria acordar

era tanta a dor

que a magia era a cor.

Com as asas dum sonho

veio a fada do arco-íris

com o perfume das flores

nasceu menina-borboleta

não quero abrir os olhos.

A fada ofereceu magia

a um lugar que conhecia

coloriu flores

coloriu estrelas

voou e espalhou alegria.

Foi assim que nasceu

esta fada encantada

do sonho e da ilusão

de dar cor à vida.

Trabalho colectivo baseado na história “A fada da cor”, de Diana Dias.

A minha primavera

Na primavera

muitas das folhas das árvores

começam a nascer.

E muitas das flores

começam a desabrochar.

É a chuva que cai

 nesta estação.

Por isso, tenho uma macieira

com vinte e cinco flores,

que no outono me vai oferecer

vinte e cinco maçãs.

No meu jardim,

à volta desta minha macieira

vejo cinco flores.

São dentes-de-leão

que protegem a minha árvore

durante toda a estação.

Pedro Afonso

A fada das letras

A fada das letras

tem muitas letrinhas.

Mas só vos falar de algumas

as outras têm de as descobrir.

Ela tem um avião

onde viaja a letra A.

Ela tem um barco

onde passeia a letra B.

E tem uma cama

Onde dorme a letra C.

 

Ela tem um dado

com que joga à letra D.

 

Ela tem um escorrega

onde gosta de escorregar a letra E.

E tem uma fábrica

onde trabalha a letra F.

 

Ela tem muitas gomas

que a letra G adora comer.

Ela tem um hipopótamo

Com quem a letra H gosta de brincar.

E tem uma ilha

Onde a letra I gosta de estar.

 

Ela tem um jipe

que a letra J gosta de usar.

Agora, a fada

já não fala mais.

Mais ainda,

só para a próxima.

Beijinhos de fada!

Carolina Barata

A estação mais linda

É dia

Primavera nasce

Pássaros cantam

Borboletas giram… giram

Rodopiam sem parar

E as flores vão beijar

É noite

As estrelas brilham

São a luz do escuro

Todos dormem

Fabiana Teixeira

As minhas experiências  

Eu podia

Podia inventar

Inventar várias

Várias experiências

Experiências “fabulásticas”

“Fabulásticas” e engraçadas

Engraçadas e divertidas

Divertidas e espetaculares

Espetaculares como EU!

Pedro Afonso Lima 

Rei das palavras 

O rei das palavras

sabe tudo sobre palavras.

Como ninguém,

sabe escrevê-las,

sabe  lê-las.

Como ninguém,

consegue senti-las.

Ele ama as letras,

as palavras,

os versos

e os poemas. 

Pedro Nuno

25 de Abril de 1974 | Recital 5ºH na BE

Click to play this Smilebox collage
Create your own collage - Powered by Smilebox

Hoje ouviu-se poesia na nossa Biblioteca Escolar! A turma do 5ºH não quis deixar de comemorar esta data e preparou na aula de Língua Portuguesa poesias originais sobre o Antes e o Depois do 25 de Abril de 1974. Os alunos de PLNM também escreveram as suas poesias! Com a professora de Educação Musical ensaiaram duas canções da época. A Biblioteca ensaiou as músicas ao som de viola e acordeão.

O Recital começou às 10:30 e as turmas 1ºPCA, 5ºF e 6ºF assistiram e participaram. Vários professores viram e ouviram os textos originais e de grande qualidade e até maturidade apresentados por estes alunos de dez anos! O Recital começou com uma contextualização através de um excerto da obra O Tesouro de Manuel António Pina. Seguiu-se a leitura de poesias sobre os anos de Ditadura. Cantou-se   Grândola Vila Morena e foi o momento de comemorar, mais uma vez com textos originais, o dia da Liberdade. Finalizou-se a sessão com a canção “Somos Livre”. Depois foi a vez do 5ºF apresentar os seus trabalhos, também de grande qualidade, aos seus colegas do 5ºH.

Sempre aLer+ em Liberdade!

Exposição – Europa

Click to play this Smilebox collage
Create your own collage - Powered by Smilebox
Another free collage by Smilebox

O Rapaz de Bronze |PNL Leitura Orientada |5ºE

Myebook - O Rapaz de Bronze - click here to open my ebook

Feira do Livro de Coimbra |13 a 22 de Maio | A Rede de Bibliotecas está lá!

A Rede de Bibliotecas de Coimbra organizou, no âmbito do seu plano de actividades, um conjunto de iniciativas para integrar na Feira do Livro. Os estabelecimentos de ensino do concelho de Coimbra integrados no Programa Rede de Bibliotecas Escolares envolvem-se num conjunto de actividades que pretendem enriquecer a Feira do Livro da cidade, a decorrer de 13 a 22 de Maio, no Parque Verde. No dia 18 está prevista assinatura do Acordo de Cooperação do Programa RBE do Ministério da Educação, com a presença de todos os parceiros envolvidos.

A Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr.ª Maria Alice Gouveia estará presente no dia 16 de Maio, a partir das 15:00.

Aqui está o Programa da  FeiraDo LivroPrograma2011

Leituras Inclusivas em decurso! | CRTIC Coimbra – AP 7ºD – BE

Leituras Inclusas!

Adaptação de uma história infantil pela BE, tradução da mesma para linguagem simbólica com utilização da Biblioteca Widgit pelo CRTIC Coimbra e posterior ilustração pelos alunos da turma 7ºD na disciplina de Área de Projecto. Esta história destina-se a alunos com necessidades educativas especiais que utilizam a linguagem simbólica para aceder e compreender a informação; neste caso particular, “A História da Carochinha”. Não está um projecto acabado, mas o trabalho do 7ºD  e de toda a equipa prossegue!

Mostramos o  início do trabalho: o CRTIC  traduziu para linguagem simbólica este conto.

Ebooks | “A menina sorridente” e “Os provérbios que escolhemos”

Myebook - A menina sorridente - click here to open my ebook

Myebook - Os provérbios que escolhemos - click here to open my ebook

Concurso “Mar de Contos” |Parabéns José Girão!

“Da minha língua vê-se o mar.” Vergílio Ferreira

A literatura portuguesa sempre encontrou no Mar uma das suas principais fontes de inspiração. De Luís de Camões a Fernando Pessoa, passando por Vergílio Ferreira e Sophia de Mello Breyner, os maiores autores nacionais consagraram o Mar como um Mundo privilegiado de aventuras, tragédias e histórias de amor.

É neste contexto que a Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar (EMAM) pretende encorajar o surgimento de novos talentos literários que se inspirem na grande riqueza que é o Mar Português, desde as memórias de longos Verões na praia à tradicional faina marítima; da preservação e sustentabilidade dos ecossistemas marinhos às expedições científicas e gloriosas aventuras nos Oceanos…

A turma do 7ºD aceitou o desafio e o aluno nº 13 – José Girão vai a Lisboa no dia 20 de Maio com a sua turma receber o prémio correspondente ao seu 3º Lugar com o conto intitulado “Um amigo especial”. Muitos parabéns! Agora só falta colocarmos aqui o conto premiado e ler+ …sempre +.

Leitores Top + | 29 de Abril


Aqui estão as Leitoras Top + do 2º Período!
2º Ciclo – Carolina Marques
3º Ciclo – Beatriz Costa

Vamos conhecer os que livros que elas leram?

Os livros da Carolina!

Os livros da Beatriz!

Concurso de Leitura Expressiva | Entrega de Prémios | 8 de Abril

D. Ximenes Belo na nossa Escola no dia 3 de Maio de 2011

Foi com muita alegria e admiração que recebemos D. Ximenes Belo na nossa escola!

A poesia a duas vozes – tétum e português – do 6ºF  a poesia dramatizada pelo 5ºF e a dança, receberam o Prémio Nobel da Paz. Foi uma honra para a nossa escola podermos ouvir a partilha de quem tem lutado ao longo de toda a sua vida pelos Direitos Humanos. Obrigada por se ter deslocado a Coimbra!

A Equipa da BE

 

Estivemos num Encontro com o senhor Bispo D. Ximenes Belo no dia 3 de Maio. Ele é uma pessoa muito simpática, meiga e gentil.

Falou de solidariedade e da Paz, dizendo que os direitos humanos são de todos nós, que não julgássemos pela aparência e pela religião, mas para respeitarmos todas as pessoas como elas são.  Também explicou que temos de fazer um esforço para não lutarmos uns com os outros e para não arranjar conflitos.
A nossa escola preparou música, dança e poemas para a sua recepção.

Nós gostámos muito, só foi pena o som não estar nas melhores condições.

Turma do 5ºB

O Prémio Nobel da Paz de 1996 foi atribuído ao bispo de Díli, D. Ximenes Belo, e ao representante da Resistência Timorense no Exterior, José Ramos-Horta.
O Prémio Nobel é um reconhecimento internacional para quem o recebe e, no ano de 1996, este prémio aclamou a causa timorense como uma grande causa internacional, onde D. Ximenes Belo e Ramos-Horta, representam a luta pela paz, pela liberdade e pelo direito, e é com o seu profundo humanismo e fé num futuro melhor, que simbolizam a voz e a força do povo de Timor.

Aqui estão algumas fotografias que nos apresentam retratos dispersos de Timor através do olhar da Dr.ª Dina Mendes  –  Coord. Interconcelhia da RBE que aí esteve de Setembro de 2010 a Janeiro deste ano!

A Biblioteca Escolar apresentou imagens dispersas de Timor.

Concurso de Caligrafia | 6 de Abril | Entrega de Prémios

 CONCURSO DE CALIGRAFIA 2010|2011

Parabéns a todos os participantes!

5ºA MARIA LEONOR GUIOMAR Nº15
5ºB RAQUEL FILIPA RITO Nº19
5ºC CARLOTA SILVA Nº4
5ºD MARIA LAURA RAMIREZ Nº14
5ºE MARIA MIGUEL Nº22
5ºG DRIELE CONCEIÇÃO Nº9
5ºH ANA BEATRIZ PINTO Nº1
6ºA ANA GAUDÊNCIO Nº2
6ºB MARIANA SANTOS Nº15
6ºC MARGARIDA GALHOZ Nº14
6ºD ANDRÉ COELHO Nº6
6ºE BEATRIZ DUARTE Nº5
6ºF CAROLINA RIBEIRO Nº5

No dia 6 de Abril, pelas 10:00, os alunos vencedores deste Concurso estiveram presentes na Biblioteca para a cerimónia de entrega de prémios. Aqui estão as fotografias dos nossos escribas!

9 a 13 de Maio | Semana Europeia

9 de Maio | Ler, ver e sentir…em vários sotaques |Dr. Nuno Pires na BE

3 de Maio | Encontro com D. Carlos Filipe Ximenes Belo – Prémio Nobel da Paz

 O Agrupamento de Escolas Maria Alice Gouveia tem a honra de anunciar a presença de D. Ximenes Belo  – Prémio Nobel da Paz, na escola sede, no próximo dia 3 de Maio , pelas 11hoo, para um Encontro subordinado à temática dos Direitos Humanos.

Esta actividade foi proposta pelos alunos do 6ºF, no âmbito da disciplina de Área de Projecto e em articulação com EMRC, sendo convidada toda a Comunidade Educativa a participar!

 

 

  Vamos conhecer a

A Origem da Ilha de Timor – ilha do Oriente

Em tempos que já lá vão, vivia na ilha Celebes um crocodilo muito velho, tão velho que não conseguia caçar peixes no rio.
Certo dia, apertado pela fome, decidiu aventurar-se nas margens, em busca de algum porco distraído que lhe servisse de refeição. Andou, andou, até cair exausto e desesperado, pois não encontrara nada e perdera as poucas forças que lhe restavam. Como havia de regressar à água? Valeu-lhe um rapaz simpático e robusto que teve pena dele e o arrastou pela cauda.
Em paga pelo serviço prestado, o crocodilo ofereceu-se para o transportar às costas sempre que quisesse navegar. O rapaz aceitou e fizeram várias viagens juntos.
Isso não impediu, no entanto, que sentindo fome de novo, o crocodilo se lembrasse de comer o companheiro. Antes, porém, quis ouvir a opinião dos outros animais e todos se mostraram indignadíssimos. Devorar quem o salvara? Que ingratidão!
Envergonhado e cheio de remorsos, o crocodilo resolveu partir para longe e recomeçar a vida onde ninguém o conhecesse. Como o rapaz era o único amigo que tinha, chamou-o e disse-lhe:
«Vem comigo à procura de um disco de ouro que flutua nas ondas perto do sol nascente. Quando o encontrarmos seremos felizes».
Mais uma vez viajaram juntos, agora sulcando o mar que parecia não ter fim… a certa altura o crocodilo percebeu que não podia continuar. Deteve-se por um instante e logo o corpo se transformou numa ilha magnífica.
O rapaz viu-se homem feito de um momento para o outro e verificou encantado que trazia ao peito o disco de ouro com que sonhara o crocodilo. Percorreu então as praias, as colinas, as montanhas, concluindo que ali realizaria o seu destino. Instalou-se para ficar e deu à ilha o nome de Timor, que significa Oriente.

Ana Maria Magalhães
Isabel Alçada

Dia da Mãe é todos os dias!

A nossa escola encheu-se ainda mais cor e alegria nos dias 28 e 29 de Abril: a área disciplinar de EMRC e os alunos do 2º Ciclo organizaram uma Venda de Plantas e, durante os intervalos, várias foram as flores e especiarias que embelezaram o átrio exterior e os malmequeres,alfazema, petúnias, orquídeas, begónias, sardinheiras, bonsai e cebolinho, manjericão e até caril voaram para muitas casas para hoje serem oferecidas às nossas Mães!

E vem-nos à memória esta quadra tão antiga…

Com três letrinhas apenas,

Se escreve a palavra Mãe,

É das palavras pequenas,

A maior que o mundo tem!

Para ler também…

Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
— mistério profundo —
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade, in ‘Lição de Coisas’

Quando Eu For Pequeno

Quando eu for pequeno, mãe,
quero ouvir de novo a tua voz
na campânula de som dos meus dias
inquietos, apressados, fustigados pelo medo.
Subirás comigo as ruas íngremes
com a certeza dócil de que só o empedrado
e o cansaço da subida
me entregarão ao sossego do sono.

Quando eu for pequeno, mãe,
os teus olhos voltarão a ver
nem que seja o fio do destino
desenhado por uma estrela cadente
no cetim azul das tardes
sobre a baía dos veleiros imaginados.

Quando eu for pequeno, mãe,
nenhum de nós falará da morte,
a não ser para confirmarmos
que ela só vem quando a chamamos
e que os animais fazem um círculo
para sabermos de antemão que vai chegar.

Quando eu for pequeno, mãe,
trarei as papoilas e os búzios
para a tua mesa de tricotar encontros,
e então ficaremos debaixo de um alpendre
a ouvir uma banda a tocar
enquanto o pai ao longe nos acena,
lenço branco na mão com as iniciais bordadas,
anunciando que vai voltar porque eu sou
[pequeno
e a orfandade até nos olhos deixa marcas.

José Jorge Letria, in “O Livro Branco da Melancolia”

Matrioshkas na escola

A professora Maria João Araújo organizou uma Feira de Matrioshkas nos dias 28 e 29 de Abril, resultado do trabalho efectuado com os seus alunos com necessidades educativas especiais – de feltro, chaveiros ou em alfinetes; a actividade teve muito sucesso e é também uma forma de angariar fundos para a criação de novas obras de arte! Vamos ver?

Conhecer…
Matrioshka, matriochka ou matrioska ou mamuska (em russo матрёшка ou матрешка, Matryoshka ou Матрьона) ou boneca russa é um brinquedo tradicional da Rússia, constituída por uma série de bonecas, feitas de diversos materiais, ainda que o mais frequente seja a madeira, que são colocadas umas dentro das outras, da maior (exterior) até a menor (a única que não é oca). A palavra provém do diminutivo do nome próprio Matryona.

%d bloggers like this: