Poema “Dia da Mãe” de Ricardo Arinto

Dia da Mãe

 

Eu pensei dar-te uma flor

Que não nasce no jardim:

Assim dou-te o meu amor

Como dás o teu a mim.

 

Nestes versos que te dou

Vai cantada uma canção

Que te diz que afinal sou

O teu próprio coração.

 

Falta mais do que um milénio

P’ra escrever o que bem sinto:

Teu olhar é oxigénio

P’ra nós todos – não te minto!

 

Ricardo Arinto

Uma resposta

  1. Muito bonito esse poema!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: