Eu li! |”Uma aventura perigosa” pelo olhar de André Fontes |8ºA/C

500_9789722109314_uma_aventura_perigosa“Uma Aventura Perigosa”

O livro que li fala de cinco jovens que um dia conheceram um rapaz da família de uns cientistas, chamado Crípton. Eles tornaram-se muito amigos e um dia ele apresentou-lhes uma fábrica.

Nessa fábrica começaram a desaparecer coisas e, como sempre, o grupo quis investigar. À noite, quando só estava o Crípton e o Chico na fábrica, deram uma pancada ao Chico e, quando ele acordou, já não estava lá o Crípton. Ele chamou o grupo e o Hélio – o irmão do Crípton. Depois, descobriram uma pista que os levava à Serra da Arrábida, onde a família do Crípton tinha uma casa.

Lá, viram Áragon – outro irmão de Crípton. Encontraram o Crípton e foi assim que descobriram que Áragon queria fabricar um gás que fazia desmaiar as pessoas. Juntamente com os raptores, Áragon pediu desculpa ao grupo, assim acabando a história em bem.

Gostei desta obra, porque esta coleção tem muito “suspense”…o que faz dela uma aventura emocionante com todas as surpresas e ações inesperadas que tem…

André Fontes 8ºA/C – n.º4

9 a 12 de dezembro 2013 | Feira do Livro

unnamed

De 9 a 13 de dezembro realizar-se-ão duas Feiras do Livro em simultâneo na BE da EB 2,3 Dr:ª Maria Alice Gouveia e na BE da EB 2,3 de Ceira.

Venham vistiar-nos e tragam um amigo também!

Boas leituras!

1918-2013 | Nelson Mandela

 

Nelson Rolihlahla Mandela (Mvezo, 18 de julho de 1918 — Joanesburgo, 5 de dezembro de 2013) deixou-nos, esta quinta-feira, aos 95 anos. Dedicou a sua vida à luta pela defesa dos direitos humanos. Foi um farol e um símbolo na luta contra o apartheid, difundindo os valores do perdão e da reconciliação. Estará para sempre connosco.

Ele diz-nos:

“Percorri esse longo caminho para a liberdade, tentei não fraquejar; dei passos errados ao longo do percurso. Mas descobri o segredo: que, depois de escalar uma montanha, apenas se descobre que há muitas mais montanhas para subir. Parei aqui um pouco para descansar, para deitar um olhar à vista maravilhosa que me rodeia, para olhar para a distância de onde vim. Mas posso descansar  somente por um momento, porque com a liberdade vêm as responsabilidades e não me atrevo a demorar, pois a minha caminhada ainda não terminou.”

O poema que se segue, escrito em 1875 pelo britânico William Ernest Henley, inspirou para sempre Nelson Mandela.

Invictus

Dentro da noite que me rodeia
Negra como um poço de lado a lado
Agradeço aos deuses que existem
por minha alma indomável

Sob as garras cruéis das circunstâncias
eu não tremo e nem me desespero
Sob os duros golpes do acaso
Minha cabeça sangra, mas continua erguida

Mais além deste lugar de lágrimas e ira,
Jazem os horrores da sombra.
Mas a ameaça dos anos,
Me encontra e me encontrará, sem medo.

Não importa quão estreito o portão
Quão repletade castigo a sentença,
Eu sou o senhor de meu destino
Eu sou o capitão de minha alma.

William Ernest Henley

 

%d bloggers like this: