Concurso Inês de Castro | 8.ª edição | 3.º prémio AECS

 

022006721

O Agrupamento de Escolas Coimbra Sul obteve o 3.º prémio, a nível nacional, na categoria relativa ao 3.º Ciclo do Ensino Básico, atribuído pelo júri da 8.ª Edição do Concurso Inês de Castro. Este concurso é uma iniciativa conjunta do Plano Nacional de Leitura e da Fundação Inês de Castro.

O tema central do trabalho vencedor teve por base o romance de D. Pedro e D. Inês de Castro e configurou uma representação no âmbito das artes performativas, no formato de dramatização em teatro de fantoches. No âmbito do Projeto Todos Juntos Podemos Ler surge o elenco do qual fizeram parte 3 alunos do 3.º ciclo com Necessidades Educativas Especiais que frequentam o 9.º ano de escolaridade, com currículo específico individual: Renato Rodrigues, Vladimiro Amaral e Diogo Pratas. Colaboraram no desenvolvimento do projeto os alunos do 3.º B da EB Quinta das Flores. A encenação foi da responsabilidade da professora titular de turma, Eduarda Seco, professores da Educação Especial, Ana Cristina Arnaut, Isabel Carvalho, Carlos Alves e a professora bibliotecária Maria do Céu Gomes. A dramatização contou ainda com o apoio do CRTIC, na captação de imagens de vídeo.

O Júri do concurso foi constituído por Fernando Pinto do Amaral, Comissário do Plano Nacional de Leitura; Assunção Júdice, da Fundação Inês de Castro; Luísa Matos, especialista em Literatura Infantojuvenil; Leonor Riscado, da Escola Superior de Educação de Coimbra, e Rui Veloso, especialista em Literatura Infantojuvenil. Baseado nos «Percursos de Pedro e Inês», desde a sua primeira edição, o concurso visa promover o conhecimento dos contextos e lugares históricos, geográficos, sociais, políticos, económicos, literários e afetivos que se relacionam, direta ou indiretamente, com o romance de D. Pedro e de D. Inês.

PARABÉNS a todos que de alguma forma estiveram envolvidos neste projeto que é de todos para TODOS!

Aqui está o vídeo  – Teatro de fantoches: “História de Pedro e Inês”!

25 de maio de 2016 | Apresentação do Livro “O lobinho” de José António Franco

25_MAIO_2016_CARTAZ

30 anos | respirar poesia

No próximo dia 25 de maio, realizar-se-á, na Biblioteca da Escola Dr.ª Maria Alice Gouveia — Agrupamento de Escolas Coimbra Sul —, pelas 10:30h, a apresentação do novo livro de José António Franco, O Lobinho, publicado pela Editora e Livraria Lápis de Memórias.

     Este arquiteto das palavras, publicou a sua primeira obra, em 1986, “Véspera tardia”, sob o pseudónimo de António Simões, Este ano completam-se 30 anos  sobre essa publicação com “O lobinho”!

Num primeiro relance, poderia ser considerada uma história para crianças, mas, na verdade,  ultrapassa esse estereotipo, pois valores como a família, a amizade e a solidariedade estão plasmados numa obra que apresenta um universo rico em afetos. E é sobretudo a gratidão, o reconhecimento do bem que gera outro bem, que prevalece.

JOSÉ ANTÓNIO FRANCO, licenciado em Filologia Germânica, professor, poeta e ficcionista, divulgador de poesia e dinamizador de oficinas de escrita, tem-se dedicado à didática da poesia, trabalhando essencialmente com crianças do Ensino Básico e realizando conferências e ações de formação para professores, educadores e bibliotecários. Criador e dinamizador do Torneio Ortográfico entre várias escolas da cidade de Coimbra, com várias edições, é igualmente elemento da Cooperativa de Produções Teatrais e Realizações Culturais BONIFRATES com intervenção nas atuações dos Jograis desta companhia.

Num trabalho conjunto entre professores e alunos do 6º ano (turmas A, B e C) da Escola Dr.ª Maria Alice Gouveia, o público poderá assistir à leitura expressiva de alguns excertos da obra, de poemas (da autoria do escritor e de alunos), a uma pequena dramatização, entre outros agradáveis momentos. Autor e crianças saborearão e brincarão com as palavras, num jogo em que os olhos sentirão e o coração verá. O escritor promete terminar a sessão numa conversa informal, respondendo à curiosidade e irreverência da pequenada a que se seguirá uma sessão de autógrafos.

15 de maio 1906 | Nasce Humberto Delgado

15 de Maio de 1906: Nasce Humberto Delgado, o “General sem Medo”

ng2236765

Clique na imagem para ler!

 

Lendo!

ac66178c426bdc72f6ec6f296b287ad4

Vou entrar no mundo da imaginação!

Patrícia do 5.º ano

Lendo!

Estamos perto da hora do lanche! Eis a proposta de Mónica Neves do 5.ºB!

ce7d9f4cf954456b62ec205a3a41c8e8 (1)

Do episódio da Ilha dos Amores | Os Lusíadas| Luís Vaz de Camões

O episódio lírico da obra camoniana “Os Lusíadas” denominado de “A Ilha dos Amores” tem como função metaforizar deleites e recompensas depois de feitos pesados, a típica ideia de uma meta depois de um objetivo e o encosto a futilidades que omitem um mundo adverso ao cubículo metafórico que é a Ilha dos Amores de Camões.

O poeta tinha duas grandes intenções ao inserir mitologia greco-romana na sua obra mais destacada, primeiro porque escrevia uma epopeia clássica na qual se recorre à dita derivação mitológica e Camões não iria escapar ao fluxo de tendências e ao repertório do género e ainda porque usa divindades que se submetem aos objetivos lusitanos , aos seus prazeres e que falham ao tentar parar a campanha marítima de Vasco da Gama, estes fatores enfatizam o carácter português e exaltam os seus feitos e elevam-nos a um nível divino, um complexo ultra-patriota do autor.

Por fim a obra em questão é um manifesto de exaltação dos valores primordiais e nacionais portugueses de uma forma demasiado exagerada mas contudo compreensível e aceitável de acordo com o espaço temporal no qual foi escrita.

Oleksandr Narovatkin

9ºE

Encontro com a escritora Alice Cardoso | “Solta-se um beijo…gosto de ti!” | 1.º Ciclo

solta-se um beijo

A escritora Alice Cardoso visitará as escolas do 1.º ciclo do nosso agrupamento para dar a conhecer o seu novo livro “Solta-se um beijo…gosto de ti!”,  o 2.º volume da coleção “A Nossa Escola”.

Centro Escolar Quinta das Flores – 10 de maio

EB Norton de Matos – 17 de maio

JI e EB Areeiro – 31 de maio

Vamos todos ler?

%d bloggers like this: