16 de março de 2017 | Apresentação do livro “Para além do óbvio”

16 de março de 2017 | Apresentação do livro “Para além do óbvio”

Propostas de intervenção para a melhoria das competências pragmáticas

Realiza-se no próximo dia 16 de março na Biblioteca Escolar da EB 2,3 Dr.ª Maria Alice Gouveia, às 17:00, uma sessão de apresentação da obra “Para além do óbvio – histórias sociais”, enquanto partilha de uma experiência pedagógica e como recurso para a intervenção junto de pessoas com necessidades educativas especiais, no domínio das competências sociais.

As suas autoras, Catarina Santos e Susana Gomes (Terapeutas da Fala da APPACDM de Coimbra) e a sua ilustradora Carla Martins (Centro de Atividades Ocupacionais da APPACDM de Coimbra) dinamizam esta atividade e darão a conhecer a obra aos docentes e a outros intervenientes relacionados com a educação de todos os alunos, explorando a aplicabilidade dos conteúdos da obra numa perspetiva de intervenção prática e concreta como proposta de ajuda quotidiana.

Esta iniciativa é organizada pelo Departamento de Educação Especial e é dirigida aos docentes de todo o Agrupamento de Escolas Coimbra Sul e respetiva Comunidade Educativa, com a colaboração do Centro de Recursos TIC para a Educação Especial – Coimbra e da Biblioteca Escolar.

 

O livro “Para além do óbvio” apresenta propostas de intervenção que objetivam a melhoria do desempenho dos indivíduos nos diferentes contextos comunicativos em que participam, de modo a que possam alcançar uma forma de atuação mais ajustada e diferenciada, de acordo com os locais em que se encontram, as pessoas com quem interagem e os objetivos comunicativos que estão na base de cada interação.

Através dos textos das histórias sociais, complementados com a utilização de símbolos pictográficos, pretende-se descrever diferentes situações sociais do quotidiano, explicitando quais os comportamentos comunicativos mais oportunos em cada situação considerada, com o intuito de aumentar a funcionalidade comunicativa das pessoas com dificuldades a este nível.

Requisite o livro na BE!

12 e 13 de abril de 2016 | Mundo Brilhante na nossa escola!

Vão decorrer no Agrupamento de Escolas Coimbra Sul, nos dias 12 e 13 de abril, várias sessões de sensibilização e de promoção de leitura organizada pelo Projeto “Mundo Brilhante” sob a direção do Dr. Alfredo Leite, psicólogo educacional e diretor pedagógico deste projeto que tanto tem vindo a contribuir para uma visão da leitura e da sua importância na assunção de valores da cidadania que se revestem de um interesse primordial nos nossos dias.

Ao longo de dois dias, na Biblioteca Escolar da Escola EB 2,3 Dr.ª Maria Alice Gouveia, serão dinamizadas várias sessões de sensibilização para a leitura dos textos dramáticos “Leandro, o rei da Helíria”, de Alice Vieira para os alunos do 7.º ano, “Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor”, de Manuel António Pina, destinadas aos alunos do 8.º ano e o “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente para os alunos de 9.º ano, salientando a vinda dos alunos do 9.ºA/C da EB 2,3 de Ceira para esta sessão.  Esta atividade é organizada pela Biblioteca Escolar em articulação com a área disciplinar de Português. Dois dias brilhantes para aprender e ler sempre +!

2 de Abril Dia Internacional do Livro Infantil

 

Diapositivo1

No dia 2 de abril comemora-se em todo o mundo o nascimento de Hans Christian Andersen. A partir de 1967, o dia 2 passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.

Para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil 2014, a DGLAB convidou a ilustradora Ana Biscaia para ser a autora da imagem do cartaz. A mensagem do IBBY internacional, este ano é da responsabilidade da Irlanda.

Vamos ler?

CARTA ÀS CRIANÇAS DE TODO O MUNDO

Os leitores perguntam muitas vezes aos escritores como é que escrevem as suas histórias – de onde vêm as ideias? Da minha imaginação, responde o escritor. Ah, sim, dizem os leitores. Mas onde fica a imaginação, de que é que ela é feita, e será que todos temos uma?

Bem, diz o escritor, fica na minha cabeça, claro, e é feita de imagens e palavras e memórias e vestígios de outras histórias e palavras e fragmentos de coisas e melodias e pensamentos e rostos e monstros e formas e palavras e movimentos e palavras e ondas e arabescos e paisagens e palavras e perfumes e sentimentos e cores e ritmos e pequenos cliques e flashes e sabores e explosões de energia e enigmas e brisas e palavras. E fica tudo a girar lá dentro e a cantar e a parecer um caleidoscópio e a flutuar e a pousar e a pensar e a arranhar a cabeça.
Claro que todos temos uma imaginação: se assim não fosse, não seríamos capazes de sonhar. Contudo, nem todas as imaginações são feitas das mesmas coisas. A imaginação dos cozinheiros tem sobretudo paladares, e a dos artistas mais cores e formas. Mas a imaginação dos escritores está cheia de palavras.
E nos leitores e ouvintes das histórias, as imaginações fazem-se com palavras também. A imaginação do escritor trabalha e gira e molda ideias e sons e vozes e personagens e acontecimentos numa história, e a história é apenas feita de palavras, batalhões de rabiscos que marcham ao longo das páginas. E depois chega o leitor e os rabiscos ganham vida. Ficam na página, parecem ainda rabiscos, mas também brincam na imaginação do leitor, e o leitor começa igualmente a desenhar e a rodar as palavras de modo a que a história se crie agora na sua cabeça, tal como tinha acontecido na cabeça do escritor.
É por isso que o leitor é tão importante para a história como o escritor. Há apenas um escritor para cada história, mas há centenas ou milhares ou mesmo milhões de leitores, na própria língua do escritor ou traduzida para muitas línguas. Sem o escritor, a história nunca teria nascido; mas sem os milhares de leitores em todo o mundo, a história não viveria todas as vidas que pode viver.
Cada leitor de uma história tem alguma coisa em comum com os outros leitores da mesma história. Separadamente, mas também em conjunto, eles recriam a história do escritor com a sua própria imaginação: um ato ao mesmo tempo privado e público, individual e coletivo, íntimo e internacional. Isto deve ser o aquilo que o ser humano faz melhor.

Continua a ler!

Siobhán Parkinson
Autora, editora, tradutora e distinguida com o Laureate na nÓg (Children’s Laureate
of Ireland).

Tradução: Maria Carlos Loureiro

Neste dia 2 de abril, pelas 17 horas, vários alunos ofereceram Marcadores e Leituras à Comunidade Educativa. Aqui estão algumas fotografias e boas Leituras!

Click to play this Smilebox slideshowCreate your own slideshow - Powered by Smilebox
A digital slideshow by Smilebox

12 de novembro de 2013 | Mundo Brilhante na nossa escola

mundo_brilhante (1)

Vão decorrer, no próximo dia 12 de novembro, 5 sessões de sensibilização para a leitura das obras “O cavaleiro da Dinamarca” de Sophia de Mello Breyner Andresen (7.º ano)  e “O Fantasma de Canterville” de Oscar Wilde (9.º ano).

As sessões serão dinamizadas pelo director pedagógico do projeto “Mundo Brilhante” –  Dr. Alfredo Leite, psicólogo educacional.

Esta atividade é organizada pela área disciplinar de Português em colaboração com a Biblioteca Escolar.

Calendarização

10:15-11:00 | 9ºA +9ºD

12:00-12:45 | 7ºA +7ºC

12:45-13:30 | 9ºC + 9ºB

14:30-15:15|7ºD + 7ºF

15:30-16:15 |7ºE + 7ºB

Outubro | Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

Segundo os princípios estabelecidos pela International Association of School Librarianship (IASL), o “Mês Internacional da Biblioteca Escolar” permite aos responsáveis pelas bibliotecas escolares, em todo o mundo, escolher um dia, em outubro, que melhor se adeque à sua situação de forma a celebrar a importância das bibliotecas escolares. O Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares decidiu declarar o dia 28 de outubro como o Dia da biblioteca escolar, permitindo, deste modo, às escolas a preparação atempada de atividades específicas a realizar nesse dia, independentemente das ações que possam levar a efeito noutros dias do mês.

A RBE associa-se, deste modo, a este evento internacional, convidando todas as bibliotecas a inserirem na página de atividades do portal RBE, durante o mês de outubro, uma atividade que considerem significativa e ilustrativa do modo como comemoraram a data. À medida que forem sendo publicadas, a RBE divulgará nos Destaques algumas destas atividades. Este envio também pode ser dirigido por mail para a IASL, de modo a que a atividade possa constar, igualmente, da sua página “What people are doing for ISLM 2013”.

A IASL propôs, como habitualmente, um tema aglutinador: Biblioteca escolar: uma porta para a vida e a BE criou um cartaz para celebrar a data.

mes_internacional_BE

22 de maio de 2013 | Encontro com a atriz e escritora Filomena Gonçalves

cartaz_filomena_goncalves_2_BOG

A atriz e escritora Filomena Gonçalves vem à nossa escola no próximo dia 22 de maio – 4.ª feira – para mais um Encontro com a Atriz e Escritora, dirigido a todas as turmas do 6.º ano no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa em articulação com a BE.

Aqui está a calendarização:

10:30 – 11:45
6D – 6E – 6F

12:00 – 13:15
6G – 6C

14:15 – 15:15
6B – 6A

untitled_1353689779

Obra “O Mundo Misterioso de Guta”
Guta e a família mudam-se para uma nova casa no Parque das Nações. Cansada de mudanças e arrumações, resolve ir passear e ler para o pé do rio, onde, das águas surge um ser mágico, uma tágide, que a desafia a resolver um misterioso enigma. A nossa heroína inicia um caminho recheado de descobertas fantásticas que a levam a conhecer novos amigos.
Uma história divertida sobre um mundo imaginário e fabuloso dos mistérios do Tejo e dos segredos que nos falam de poetas e musas de seres mitológicos e sobre o valor da amizade, dos nossos afetos e das recordações.

filomena_MG_8093crop-260x217

Breve Biografia
Filomena Gonçalves nasceu em Lisboa no dia 11 de junho de 1961. Passou a infância e juventude em Setúbal. É uma conhecida atriz com uma carreira reconhecida no desempenho de variadíssimas personagens em novelas e séries televisivas em que foi igualmente produtora, nomeadamente, A Ferreirinha, João Semana, O Processo dos Távoras e Quando os Lobos Uivam. Estreou-se em televisão na telenovela Chuva na Areia no ano de 1985.
Atualmente, integra o elenco da nova telenovela da TVI Doida por Ti, no papel de Marília Gomes, empregada da família Varela: Mário (Paulo Pires) e Carmo (Luísa Cruz).
A sua recente incursão no mundo da ficção juvenil participando em Morangos Com Açúcar, no papel da Diretora Linda, agradou-lhe especialmente pela possibilidade de contactar de perto com muitos jovens, atores e fãs da conhecida série. A sua estreia como escritora faz-se com uma obra dedicada ao público infantil, O Mundo Misterioso de Guta.

Filomena Gonçalves – participação em produções

• Doida por Ti, Marília Gomes – 2012 – 2013
• O Último Verão, Leonor – 2012
• Princesa, Diretora da Escola – 2012
• Maternidade, Elisa – 2011
• Morangos Com Açúcar, Linda Porfírio – 2009 – 2011
• Vila Faia (2007), Filipa Silveira – 2007 – 2008
• Quando os Lobos Uivam, Márcia – 2006
• Pedro e Inês, Madre – 2005
• João Semana, Maluca – 2005
• A Ferreirinha, Antónia Adelaide Ferreira (Ferreirinha) – 2004
• Lusitana Paixão, Teresa Estrela D’Alva – 2002
• Sonhos Traídos, Maria de Lurdes Pereira – 2002
• O Processo dos Távoras, D. Mariana Vitória de Bourbon – 2001
• Alves dos Reis, Sibila – 2000
• Conde de Abranhos, Casimira – 2000
• A Raia dos Medos, Maria – 1999 – 2000
• Médico de Família (série), Ema – 1999 – 2000
• Uma Avó dos Diabos – 1999
• Esquadra da Polícia, Comissária Maria Xavier – 1999
• Ballet Rose, Rosa de Mello – 1997 – 1998
• Filhos do Vento, Margarida Abrantes – 1996 – 1997
• Polícias, Rita – 1996
• Primeiro Amor, Sílvia – 1995
• Desencontros, Clara Resende – 1994
• Verão Quente (novela), Joana – 1993
• Telhados de Vidro, Rosário – 1992 – 1993
• Ricardina e Marta, Ricardina – 1989
• Um Chapéu de Palha de Itália, Helena – 1989
• Duarte & C.a – 1988
• Histórias que o Diabo Gosta – 1988
• Passerelle, Lena – 1988
• Palavras Cruzadas, Joana – 1986
• Chuva na Areia, empregada doméstica de Odete – 1985

ARTIGO SOBRE FILOMENA GONÇALVES
http://www.mun-setubal.pt/GuiaEventos/Artigos/default.asp?tipo=4&dia=1&Mes=2&Ano=2005

Cantar e cozinhar não é comigo

Muitos dos leitores conhecem Filomena Gonçalves do ecrã, de novelas e séries, mas nem todos sabem que, tendo nascido em Lisboa, onde reside, foi em Setúbal que cresceu e se fez artista. Os primeiros passos sobre o palco deu-os, na década de 80, no Teatro Animação de Setúbal, em aprendizagem simultânea, em Troia, com a da técnica de representação em novelas.
Da paixão de representar dividida, então, por aquelas duas paixões, de que a segunda havia de levar à palma, resultou, por coincidência, que a estreia, nos dois campos, acontecesse no mesmo dia. De manhã, participou nas filmagens de uma novela, e, à noite, num café-concerto.
Daí para cá, nunca mais parou, sendo, hoje, a nível de novelas e séries televisivas, figura de primeiro plano. Antes, porém, houve um caminho, nem sempre fácil, a percorrer.
Fechado o ciclo do TAS, de “forma natural”, abriu-se o de Lisboa, quer no teatro, quer em radionovelas. Não raro, os “ensaios e os espetáculos terminavam tarde”, obrigando-a a dormir em Lisboa. A aumentar o calvário, havia as viagens, diárias, cansativas. Optou por ir morar do outro lado do Tejo.
Com o “dia todo ocupado”, o “pouco tempo livre é para família”.Por isso, talvez, não tem o hábito de ler jornais, nem ouvir rádio, a “não ser no carro”.
Prefere a noite ao dia, “para trabalhar ou estar em casa”, mas não para cozinhar. Não porque não queira, mas porque não sabe. Sem pejo, confessa-se uma “uma nulidade autêntica” na arte de tachos e temperos, pelo que “se insistisse”, graceja, havia “motivo para divórcio com justa causa”. Tal facto não a impede de ter preferências gastronómicas, com a “perdiz estufada, somente com azeite e vinagre”, eleita prato predileto. Quanto a bebidas, “água, porto, naturalmente, depois da ‘Ferreirinha’ – série televisiva em que participou recentemente –, champanhe e café”.
Falta de apetência igual à que tem para a culinária, só, mesmo, para cantar. Na peça ‘Dinis e Isabel’, onde era protagonista, “tinha de cantarolar uns versos, com música de Vitorino de Almeida”. No dia da estreia, ao entrar em palco, viu, na plateia, o maestro. Entrou em pânico, não foi capaz de “emitir um som”.
Prefere a praia ao campo, mas gosta do “Alentejo interior”, considerando a “imensidão da planície” um “mar sem água”.
A quietude alentejana, porventura, recorda-lhe a Arrábida, que exerce sobre ela “fascínio especial”. De Setúbal – onde só vem pela família – o “espaço Arrábida” é, talvez, a única coisa que guarda, “como importante, no coração”.
“O espaço da Arrábida é muito importante para mim. Mesmo que não vá lá, preciso de saber, de ter a certeza, que existe. É algo de telúrico, de fascinante. Se um dia desaparecesse, não sei. Têm-lhe feito tanto mal…”

Filomena Gonçalves nasceu em Lisboa, mas viveu a infância e parte da juventude em Setúbal – nos Quatro Caminhos e em Palhais.
Fez a instrução primária na escola do Bairro da Conceição e os estudos secundários no antigo Liceu e na Bela Vista.
No teatro estreou-se, no Teatro de Bolso do TAS, num café-concerto, encenado por Fernando Gomes. Na pantalha, na primeira telenovela portuguesa, ‘Chuva na Areia’.
Depois de deixar o TAS, trabalhou no Teatro Experimental de Cascais e em radionovelas, na RDP.
Hoje, além de artista, tem, com o marido, o guionista Moita Flores, uma produtora, responsável por várias séries televisivas, a última das quais, ‘João Semana’, em exibição, na RTP.

Concurso de Fotografia já começou!

Esta é a 4.ª edição do Concurso de Fotografia sempre aLER + e mais uma vez convidamos toda a comunidade educativa a participar: Encarregados de Educação, alunos, professores e funcionários do nosso Agrupamento de Escolas.

Concorrer é muito fácil!

Cada concorrente poderá participar com um máximo de três fotografias digitais (a cores ou a p&b) – cada uma delas deverá ter um título e, devidamente identificadas, poderão ser  enviadas para o e-mail bibliomag1@gmail.com ou entregues na Biblioteca da escola sede.

O tema deste ano é “Um mar…” e o cartaz é já uma inspiração para vosso trabalho!
O especialista e Presidente do júri será o professor Manuel Fresco, também autor do cartaz de divulgação.

Boas fotos sempre aLER+!

concurso_fotografia_2013_blog

%d bloggers like this: