28 de março de 2017 | Encontros + com Francisco Gil | BMC | 6.º D

5 de julho de 2016 | Aniversário de Mia Couto!

mia couto

Não Sabemos Ler o Mundo

Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sinais climáticos nas nuvens, lemos o chão, lemos o Mundo, lemos a Vida. Tudo pode ser página. Depende apenas da intenção de descoberta do nosso olhar. Queixamo-nos de que as pessoas não lêem livros. Mas o deficit de leitura é muito mais geral. Não sabemos ler o mundo, não lemos os outros.

Vale a pena ler livros ou ler a Vida quando o acto de ler nos converte num sujeito de uma narrativa, isto é, quando nos tornamos personagens. Mais do que saber ler, será que sabemos, ainda hoje, contar histórias? Ou sabemos simplesmente escutar histórias onde nos parece reinar apenas silêncio?

Mia Couto, in ‘E Se Obama Fosse Africano?’

A revisitar no Portal da Literatura!

Cervantes y la leyenda de don Quijote | i Canal historia!

En 2016 se conmemora el IV Centenario de la muerte de Cervantes!

Günter Grass, Prémio Nobel da Literatura em 1999 |Faleceu no dia 13 de abril de 2015

 

UMBil

O alemão Günter Grass, Prémio Nobel da Literatura em 1999, morreu no dia 13 de abril de 2015, aos 87 anos, em Lübeck, no norte da Alemanha. Günter Grass nasceu em Gdansk a 16 de outubro de 1927. Em 1956, lançou os primeiros livros de poesia e frequentou um curso de Artes Gráficas e Escultura em Düsseldorf. Para além da poesia, o escritor foi romancista, dramaturgo,  intelectual e artista plástico.

A obra O Tambor, publicada em 1959, valeu-lhe notoriedade internacional e tornou-se um clássico da literatura. Faz a crítica social e dos costumes da sociedade alemã, antes e depois da II Guerra Mundial.
Ao longo da sua vida, Günter recebeu os prémios Georg Büchner (1965), o mais importante da literatura alemã, um prémio da Sociedade Real de Literatura (1993) e mais recentemente uma distinção pelo Príncipe das Astúrias (1999).

Günter Grass colaborou recentemente como ilustrador do livro inédito de José Saramago “Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas” (Porto Editora), publicado em 2014.

O escritor alemão passava várias temporadas no Algarve, pois tinha uma habitação há cerca de 30 anos na freguesia da Mexilhoeira Grande, no interior do concelho de Portimão, onde se retirava frequentemente para escrever.

Günter Grass expunha ainda a sua obra como artista plástico no Centro Cultural de São Lourenço, em Almancil.

Fonte: http://www.jornaldoalgarve.pt/algarve-tambem-sente-a-partida-de-gunter-grass/

O Concurso Nacional de Leitura já começou! | Já te inscreveste?

logo_CNL

O Concurso Nacional de Leitura 2014/2015 já começou em outubro!

Este ano é o sexto ano em que a  Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos Dr.ª Maria Alice Gouveia e a terceira vez em que Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos  de Ceira vão concorrer ao Concurso Nacional de Leitura, promovido pelo Plano Nacional de Leitura!

Este Concurso é dirigido aos alunos do 3º Ciclo do nosso Agrupamento de Escolas.

Vamos conhecer o Regulamento deste ano?

REGULAMENTO

2014 | 2015

 

O Concurso Nacional de Leitura é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura e visa promover a leitura e as competências de expressão escrita e oral  junto de alunos do ensino secundário e do 3.º ciclo do ensino básico.

Este concurso tem três fases: uma a nível de escola, outra a nível de distrito e outra a nível nacional.

1.ª Fase – Escola – 30 de outubro de 2014 até ao dia 22 de janeiro de 2015

2.ª Fase – Distrital – 6 de fevereiro a 30 de abril de 2015

3.ª Fase – Nacional – Junho | Julho 2015 (dia a determinar)

O presente regulamento estabelece as regras da 1.ª fase do concurso a decorrer no 1.º Período e início do 2º, por escola, a saber, Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr.ª Maria Alice Gouveia e Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Ceira.

Objetivo

Selecionar as três melhores Provas de Leitura, a realizar em cada escola.

 Calendarização

  • 1ª fase do concurso – 30 de outubro de 2014 até ao dia 22 de janeiro de 2015
  • Realização da prova de seleção no dia 14 de janeiro de 2015 das 10.15 às 10.45, na Biblioteca da EB 2,3 Dr.ª Maria Alice Gouveia
  • 15 de janeiro de 2015 das 10.15 às 10.45, na Biblioteca da EB 2,3 de Ceira.

 Divulgação das duas listas de vencedores, por escola, no dia 20 de janeiro de 2015

 Público-alvo

Os concorrentes serão alunos do 3.º ciclo do Ensino Básico (7.º, 8.º e 9.º anos de escolaridade).

Prova

A prova consistirá no preenchimento de uma ficha de leitura elaborada especificamente para o efeito.

Obras

As obras para o concurso serão as seguintes:

A inaudita guerra na Avenida Gago Coutinho, de Mário de Carvalho 


inaudita guerra

Os da minha rua, de Ondjaki

os_da_minha_rua

Inscrição

Os alunos interessados em participar no concurso, deverão proceder à sua inscrição, preferencialmente, junto do professor de Língua Portuguesa até 12 de dezembro de 2014.

Prémios

Na 1.ª fase do concurso, os alunos selecionados receberão um prémio.

Júri do concurso a nível de escola:

 Competências:

Cabe ao Júri da Escola a organização do concurso, bem como a elaboração das respetivas provas, afixação da lista dos concorrentes vencedores e a coordenação de todo o processo relacionado com o concurso a nível de escola.

Constituição:

O Júri a nível de escola será constituído por uma professora de Língua Portuguesa do 3.º Ciclo do Ensino Básico, pela Coordenadora da Biblioteca da Escola e pela Coordenadora de Língua Portuguesa.

logo_AG_a_ler_mais copy

27 de Janeiro | Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Diapositivo1

 Dia Internacional em Memória do Holocausto – Aprender com o Passado, Ensinar para o Futuro. Este webinarconstitui uma iniciativa de evocação do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto que anualmente se comemora no dia 27 de janeiro, convidando as escolas a associar-se a esta evocação. Aborda o seu significado e atualidade, bem como a importância do seu ensino. Neste contexto, são apresentadas sugestões de acesso a informação atualizada e a novos recursos didáticos, como contributos de apoio ao ensino do Holocausto, tema obrigatório expresso nos programas e metas curriculares de diversas disciplinas do currículo dos ensinos básico e secundário, em especial na disciplina de História, no sentido de permitir aos nossos alunos uma aquisição de saberes significativos e o desenvolvimento de capacidades e atitudes de responsabilidade, de respeito e de tolerância no quadro dos Direitos Humanos. Owebinar apresenta, ainda, a Memoshoá – Associação Memória e Ensino do Holocausto, destacando os seus objetivos, atividades desenvolvidas e projetos em curso.

Esther Mucznik
Esther Mucznik
É Vice-Presidente da Comunidade Israelita de Lisboa (CIL) e fundadora, em 1994, da Associação Portuguesa de Estudos Judaicos. Presidente e fundadora, em 2008, da Memoshoá – Associação Memória e Ensino do Holocausto e membro da Comissão Nacional de Liberdade Religiosa. Estudiosa das questões judaicas, tem coordenado cursos e seminários sobre história e cultura judaica e publicado numerosos trabalhos sobre estas temáticas, entre os quais “Grácia Nasi, A judia portuguesa do século XVI que desafiou o seu próprio destino”, e “Portugueses no Holocausto”, ambos na editora Esfera dos Livros, respetivamente em 2010 e 2012. Foi também co-coordenadora do Dicionário do Judaísmo Português, publicado em 2009 pela Editorial Presença.

Ricardo Presumido
Ricardo Presumido
Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Pós-Graduado em História Contemporânea pela mesma Universidade. Membro do Núcleo de Investigação Histórica, Os Fazedores de Letras, participou nos projetos de investigação sobre Memória da Imprensa Estudantil Universitária e Dicionário do Centenário da Implantação da República. É professor de História do Ensino Básico e Secundário, Vice-Presidente e fundador, em 2008, da Memoshoá – Associação Memória e Ensino do Holocausto e investigador nas temáticas da Segunda Guerra Mundial e Holocausto.

 Visitem as Exposições e conheçam ou revisitem os livros e filmes que as as duas Bibliotecas dos 2.º e 3-º Ciclos possuem sobre esta temática.

Na escola sede está patente um exposição sobre Aristides de Sousa Mendes, além de livros e filme –  Diplomata português que durante a II Guerra Mundial salvou mais de 30.000 vidas da perseguição Nazi, em 1940, no que é considerado como a maior acção de salvamento empreendida por uma pessoa individual. 

A história que se segue é para que nunca nos esqueçamos e para que aprendamos com o passado e construamos um Futuro melhor.

Queria voar como uma Borboleta | Memórias de uma infância durante o holocausto – A história de Jana Gofrit

A Forma Justa

Sei que seria possível construir o mundo justo
As cidades poderiam ser claras e lavadas
Pelo canto dos espaços e das fontes
O céu o mar e a terra estão prontos
A saciar a nossa fome do terrestre
A terra onde estamos — se ninguém atraiçoasse — proporia
Cada dia a cada um a liberdade e o reino
— Na concha na flor no homem e no fruto
Se nada adoecer a própria forma é justa
E no todo se integra como palavra em verso
Sei que seria possível construir a forma justa
De uma cidade humana que fosse
Fiel à perfeição do universo

Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco
E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo

Sophia de Mello Breyner Andresen  (1919-2004)

In “O Nome das Coisas”

6ºD | Se os bichos fossem gente? | EntreContos

A Inês Lage apresentou este livro aos seus colegas na atividade trimestral “EntreContos – Partilha de leituras” e como a leitura é como as cerejas, os seus colegas também colaboraram, escrevendo e desenhando outros animais que, no dia a dia, também poderão usar roupas e objetos que pertencem ao mundo dos seres humanos! Vamos “e-ler”?